horta, planejamento e as surpresas do caminho

eu com o pé de mostarda que não estava no planejamento da horta

cultivar uma horta é sobre aquilo que a gente planta, mas principalmente sobre o que a gente não planta! é sobre o planejamento e também sobre aceitar os presentes espontâneos.

pra mim, o maior aprendizado com o cultivo de hortas é que o nosso planejamento dá conta só de uma pequena parte do resultado final!

horta e planejamento

como boa ex-executiva, planejamento sempre foi meu ponto forte! e desde que comecei a trabalhar nesta área, sempre gostei de planejar cuidadosamente as espécies, montar consórcios e organizar os cultivos. mas volta e meia rolava uma frustração quando nem tudo germinava ou crescia como eu tinha planejado!

com o tempo, fui entendendo que quem determina mesmo o que vai vingar e o que vai nascer espontaneamente é a natureza, não as minhas planilhas ou a minha habilidade no plantio.

aprender a lidar com a frustração do que não sai como planejado e a aproveitar as espécies espontâneas é o que a horta mais me ensina todos os dias. e isso me ajuda a ser não só uma jardineira melhor, mas a olhar para os imprevistos da vida com outros olhos!

boas surpresas pelo caminho

eu não plantei essa mostarda linda linda que eu colhi hoje. já tinha até arrancado ela alguns meses atrás achando que era algum “mato”, mas ela nasceu de novo!

um tempo depois, a horta teve muitas lagartas, mas elas comeram só os pés de mostarda espontâneos e então resolvi deixá-los por lá pra proteger as plantas. mas que surpresa eu tive quando encontrei esse pé enorme, perfumado e já em flor algumas semanas depois!

eu não plantei essa mostarda lá, assim como não plantei os inúmeros tomateiros que já brotaram aí e renderam tantos tomates, e estes são provavelmente os cultivos mais vigorosos!

a origem deles não importa muito, o que importa é que hoje eu aprendi a olhar para elas como presentes preciosos e não como falhas do meu planejamento. e cada vez que ganho um presente desses, eu me lembro de olhar da mesma maneira para as “plantas espontâneas” da vida e tentar enxergar o presente escondido ali!

uma vez em uma aula de agrofloresta, meu professor disse que a gente só planta 30%. os outros 70% quem planta é a natureza, a partir das condições que a gente cria naquele ambiente, e hoje fico pensando se não é assim também na vida da gente.

e você, como lida com as plantas espontâneas da vida? vem me contar lá no post do instagram!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *